Bem vindo, Camaçari, 18 de Outubro de 2018

Audiência sobre indenizações após naufrágio com 19 mortes termina sem acordo

Escrito por: Pesquisa Web - Salvador - 06 de Agosto de 2018

Tragédia aconteceu em agosto do ano passado e deixou 19 mortos (Foto: Reprodução/ TV Bahia)

Aos poucos dias de completar um ano do naufrágio da embarcação Cavalo Marinho I, que fazia a travessia Mar Grande - Salvador, familiares de vítimas e sobreviventes da tragédia compareceram, nesta segunda-feira (6), à primeira audiência de conciliação com a empresa CL Transporte Marítimo, proprietária da embarcação. O encontro, ocorrido na capital, terminou sem acordo. Dezenove pessoas morreram no acidente.

A audiência reuniu três sobreviventes do naufrágio e as famílias de duas vítimas, que estão movendo processo contra a empresa por meio da Defensoria Pública do Estado (DPE). O réu, Lívio Garcia Galvão Jr., dono da empresa, não compareceu à audiência e terá, agora, um prazo de 15 dias, a partir desta segunda-feira, para apresentar a defesa.

O caso é conduzido pelo juiz Maurício Oliveira de Lima, da 16° Vara de Relações de Consumo. No encontro, os representantes do réu alegaram que precisavam reunir os valores indenizatórios pedidos por todas as famílias que deram entrada em processos - as cinco que fizeram o pedido via Defensoria Pública em Salvador e outras 23, que moveram ação por meio da Defensoria Pública de Mar Grande.

As famílias e vítimas que movem a ação por meio da DPE em Salvador reivindicam indenização por danos morais, cujos valores variam ente R$ 100 e R$ 200 mil, cada um, e por danos materiais, que chegam até a 6 mil. A ausência de um acordo frustrou os sobreviventes e familiares das vítimas que participaram da audiência. Foi o caso de Aline Silva Souza, de 34 anos, um da três filhas do aposentado Antônio de Jesus Souza, 68 anos, que morreu no naufrágio.

"Esta foi a primeira vez que estivemos próximo de um acordo com a empresa, então, é muito frustrante sair sem resposta. Desde a tragédia, a empresa nunca nos procurou", contou.

Os representantes da empresa não quiseram se pronunciar. De acordo com a Defensora Pública que representa os familiares e as vítimas, Gabriela Trigueiro, apesar das partes não terem chegado a um acordo, a audiência é o primeiro passo para que os denunciantes possam chegar à indenização.

"O dinheiro não vai trazer esses familiares de volta, mas é preciso que a empresa assuma a responsabilidade por essas vítimas", disse. Após a CL Transporte Marítimo apresentar a defesa, uma nova audiência entre as partes será marcada. Fonte: G1*

 

Outras Notícias:

Salvador
Escrito por: Pesquisa Web
17 de Outubro de 2018
 Veja Mais
Salvador
Escrito por: CN com Assessoria de Comunicação
17 de Outubro de 2018
 Veja Mais
Salvador
Escrito por: CN com Assessoria de Comunicação
17 de Outubro de 2018
 Veja Mais
Salvador
Escrito por: Camaçari Notícias
17 de Outubro de 2018
 Veja Mais
 Veja todas as notícias

Buscar em Notícias

Cadastre-se

Receba nossos informativos no seu email:

Enquete

Como está o estado de conservação das ruas e estradas de Camaçari na sua opinião?

Resultado

Praça Desembargador Montenegro, n° 35, Centro,
Camaçari - BA
CEP: 42800-020

71.3627-5293
[email protected]noticias.com.br

Navegação Rápida