Bem vindo, Camaçari, 23 de Fevereiro de 2017

Novo sistema de esgoto beneficia 65 mil pessoas em Camaçari

Escrito por: Sheila Barretto - Meio Ambiente - 04 de Dezembro de 2016

Manuella Swierczynski, gerente do Departamento de Esgotamento Sanitário dos Sistemas Periféricos da RMS (Foto: Sheila Barretto/CN)

Já está em funcionamento o novo sistema de esgoto que foi inaugurado pelo Governador Rui Costa em outubro. O sistema, que foi feito pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 1), atende a 18 bairros. Atualmente, 9.853 ligações já foram implantadas ao sistema comercial da Embasa.  E mais 3.571 ligações que utilizam o sistema implantado, como o Programa Minha, Minha Vida, que bombeiam os efluentes diretamente na torre de transição do sistema e envia para Cetrel. No total já são 13.424 ligações beneficiadas pelo sistema. A população beneficiada com o PAC 1 pode chegar até 65 mil pessoas.

A reportagem do Camaçari Notícias esteve na Embasa e entrevistou a gerente do MES (Departamento de Esgotamento Sanitário dos Sistemas Periféricos da RMS), Manuella Swierczynski, que nos contou como o novo sistema funciona, o que cada morador precisa fazer para utilizá-lo e como esse serviço irá melhorar a qualidade de vida da população.

Manuella explicou que a obra passa por duas etapas, a primeira, chamada de PAC 1, foi responsável pela construção de redes coletoras, interceptor, elevatório e o destino final, que é o bombeamento para a Cetrel. Essa primeira fase contempla 18 bairros: Centro, Dois de Julho, Piaçaveira, Phoc II, Nova Vitória, Alto da Cruz, Mangueiral, Ficam, Lama Preta, Parque Florestal, Parque Satélite, Natal, Gleba A, Gleba B, Gleba H, Camaçari de Dentro, Bomba, Verde Horizonte e Burissatuba.

Todos os moradores destes bairros já podem fazer suas ligações no novo sistema. “O que é que a população tem que observar: se na porta de sua casa tem uma caixinha redonda de concreto, que é a caixa de inspeção, que fica no passeio. O morador tem que desativar a fossa dele ou se o esgoto dele estiver entroncado na drenagem, ele tem que tirar e entroncar naquela caixa. A caixa está interligada na rede coletora, que vai pra rede coletora principal, para o interceptor e depois para a elevatória, que é o destino correto”, explica a gerente.

Em caso de dúvida, técnicos da Embasa vão até a residência para orientar como o serviço deve ser feito. “Se o cliente tem alguma dúvida, ele deve ligar para o 08000 da Embasa, que é gratuito, e pedir a visita de um técnico. O técnico vai, inspeciona o imóvel, inspeciona a caixa e dá toda a orientação ao cliente, sobre que tubulação ele vai usar e a forma correta de fazer a ligação”, orienta a gerente do MES. É importante lembrar que após a ligação, a Embasa passa a cobrar uma taxa de esgoto, que vem junto com a conta de água. “Depois que o cliente faz a ligação, a gente implanta a cobrança de tarifa de esgoto, que é uma tarifa no valor de 80% do consumo da água. Então, quanto mais água ele economizar, obviamente pagará menos esgoto”, afirma Manuella.

De acordo com a gerente, essa cobrança é baseada nos custos operacionais da empresa, como manutenção nas redes coletoras, lavagem de rede, desobstrução, limpezas elevatórias de área, pagamento da conta de energia do bombeamento das elevatórias e o pagamento do tratamento final na Cetrel.

Ainda sobre a ligação que é feita pelo próprio usuário, Manuella explica que “é uma orientação da legislação estadual que a ligação dentro da casa até a caixa na porta é responsabilidade do morador. Nós, como habitantes, temos responsabilidade com o meio ambiente. O esgoto é uma questão de saúde pública e uma questão ambiental. A gente está protegendo os rios, que são nossa fonte de recursos hídricos, do nosso próprio abastecimento humano comercial, da agropecuária, enfim”, disse. E por falar em rios, sabemos como o Rio Camaçari tem sido mal tratado ao longo dos anos com o esgoto da cidade sendo despejado nele. Manuella afirma que, com o novo sistema de esgotamento, a situação do Rio pode melhorar bastante, mas isso só será possível com a colaboração da população.

“Não vai ser um trabalho rápido, é gradativo, a gente depende de um tempo para conseguir atingir a consciência da população de que existe um sistema de esgotamento sanitário, de que quem está hoje ligado em fossa ou na drenagem deve tirar seu esgoto e vir para a rede coletora correta. A gente também precisa da sociedade como um todo para entender que as próximas edificações devem ser feitas da maneira correta, já interligando ao sistema de esgoto. À medida que isso for aumentando e for crescendo, com certeza, é menos esgoto que vai para o rio e aí o rio começa a se recuperar naturalmente e volta, daqui a alguns anos, a ter uma qualidade melhor, tanto na saúde pública, como no meio ambiente. Agora é um trabalho que a gente tem que orientar, informar a população”, pontuou Manuella.

Um ponto que precisa ser esclarecido é o que diz respeito à diferenciação entre lixo e esgoto. “Muita gente confunde, mas lixo é uma coisa e esgoto é outra. Óleo de fritura, pó de café, casca de verdura, são resíduos sólidos, devem ser descartados no lixo e com isso você evita uma obstrução interna em sua casa, conserva suas instalações hidrossanitárias e conserva também as redes que estão nas ruas. O esgoto é a água que desce da pia que foi usada para lavar uma verdura, para lavar prato, para lavar roupa, para tomar banho e o esgoto primário, que é o que vem do vaso sanitário. Isso é o que deve ir pra rede de esgoto”, ensina a gerente.

Em Camaçari existe uma cooperativa que recolhe e faz a reciclagem de lixo. A Coopmarc recebe doação de materiais recicláveis como: papel, papelão, plásticos, vidros e metais, enviados, principalmente, das empresas do Polo Industrial, Polo Plástico, Polo de Apoio, comercio do município, condomínios e cidades vizinhas. Ao chegar à sede, os materiais são triados, prensados e comercializados para as empresas que os utilizam em seus processos produtivos, como fábricas que realizam a transformação destes resíduos em matérias primas para serem posteriormente transformados em novos produtos.

A Coopmarc, que fica localizada no Loteamento Espaço Alpha, ao lado da sede da Limpec, no Jardim Limoeiro, recebe os materiais não só das empresas, mas de hotéis, restaurantes e do cidadão comum também. Além dos materiais sólidos, a cooperativa também recebe o óleo usado em frituras. A dona de casa pode armazená-lo em uma garrafa pet e levar até a Coopmarc e assim, estará contribuindo com o meio ambiente e protegendo a rede de esgoto.

O sistema funciona 24 horas por dia (Foto: GOV/BA)

O técnico em edificações da Embasa, Marcos Roberto dos Santos, explicou como funciona o novo sistema. “Hoje nós temos um sistema bastante integrado, composto de três estações elevatórias de grande porte que coletam todos os efluentes brutos. Esses efluentes passam por uma caixa de transição, que fica localizada no Espaço Alpha, depois passam também por um desenganador, que retira todo o sólido e dali a gente tem uma linha de PAD de 900 milímetros que chega até a Cetrel. Na Cetrel, esse esgoto é condicionado, feito o tratamento e mandado pelo emissário, que lança em Arembepe. O sistema foi criado pra atender a toda a população e funciona 24 horas por dia, sem parar, tudo pra dar um bom atendimento a toda a comunidade”.

Mesmo com essa primeira etapa concluída, o trabalho ainda não acabou. “Ainda tem uma segunda etapa projetada aqui para Camaçari que é o que a gente chama de PAC 2, que tem a previsão de concluir ano que vem e vai absorver mais dois bairros aqui de Camaçari (Jardim Limoeiro e Parque das Mangabas)”, explicou Manuella.

A gerente do MES lembra que para qualquer problema na rede, seja de água ou esgoto, a Embasa deve ser acionada. “Quando o usuário detectar um vazamento de água ou esgoto, seja de pequena ou grande proporção, basta ligar para o 08000, informar o número da matrícula, o número o hidrômetro, o nome da rua, que vai ser registrado e será atendido por nossas equipes. A Embasa não privilegia pessoas ou bairros, as prioridades são pela característica do serviço”, destacou.

Outras Notícias:

Meio Ambiente
Escrito por: Secom
17 de Fevereiro de 2017
 Veja Mais
Meio Ambiente
Escrito por: Secom
17 de Fevereiro de 2017
 Veja Mais
Meio Ambiente
Escrito por: Secom
10 de Fevereiro de 2017
 Veja Mais
Meio Ambiente
Escrito por: Pesquisa Web
27 de Janeiro de 2017
 Veja Mais
 Veja todas as notícias

Buscar em Notícias

Cadastre-se

Receba nossos informativos no seu email:

Enquete

Sua opinião sobre o transporte universitário de Camaçari

Resultado

Praça Desembargador Montenegro, n° 35, Centro,
Camaçari - BA
CEP: 42800-020

71.3627-5293
contato@camacarinoticias.com.br

Navegação Rápida