Geral

Boechat recebe críticas ao falar da morte de Moa do Katendê: “bobagem”

Escrito por Pesquisa Web em 09 de Outubro de 2018
[Boechat recebe críticas ao falar da morte de Moa do Katendê: “bobagem”]

Em seu comentário matinal, o jornalista Ricardo Boechat, da Band, falou da morte do mestre capoeirista Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Moa do Katendê, durante comentário sobre o atual cenário político.

Durante o Jornal da BandNews de hoje (9), Boechat classificou o homicídio como “bobagem” diante do alto número de mortes no país. Moa foi assassinado com 12 facadas após uma discussão política, quando se posicionou contrário ao capitão reformado do Exército.

“Não vejo agressividade na campanha. Tem um capoeirista morto, mas somos 200 milhões de pessoas. Quantas pessoas morrem por dia? Temos 65 mil homicídios por ano. Aí cita uma morte como fenômeno de campanha? Aquilo é uma bobagem, minha gente. Temos 65 mil homicídios. Tivemos uma eleição sem incidentes. A vida seguiu e está seguindo, estamos indo para o segundo turno”. “Aí cita uma morte como fenômeno de campanha? Por favor, é uma bobagem, minha gente. Temos 65 mil homicídios por ano no Brasil”, declara.

O comentário foi alvo de internautas que questionaram a forma com que o jornalista abordou o assunto. “Um homem foi assassinado a facadas após dizer que votou no PT, mas, para o Boechat, não há agressividade na campanha porque “teve um capoeirista morto numa briga, mas nós somos 208 milhões de pessoas”, disse um internauta. “Não esqueceremos disso, Boechat”, avisou outro. Fonte: Bahia Econômica*

Compartilhe!