Camaçari

Ministério Público detecta irregularidades na maternidade do HGC

Escrito por Camaçari Notícias em 13 de Agosto de 2019
[Ministério Público detecta irregularidades na maternidade do HGC]

(Foto: Reprodução/MP)

Após a repercussão do caso da gestante que teve um bebê na recepção do Hospital Geral de Camaçari (HGC), uma equipe o Projeto Cegonha do Ministério Público da Bahia esteve na unidade na última quinta-feira (08) para realizar uma inspeção na maternidade e detectou diversas irregularidades.

Durante a visita, vários problemas foram verificados pela coordenadora do projeto, a promotora de Justiça Mirella Brito, tais como falta de pessoal, computadores quebrados, infiltração, entre outros. A maternidade do HGC, que possui 40 leitos para parto e seis para internamento, conta com uma equipe de três médicos obstetras, dois anestesistas e três enfermeiras obstetras.

A fiscalização do projeto observou que a recepção da maternidade é a mesma utilizada para pacientes de urgência e emergência. Há também infiltrações no ambiente, aparelhos de ar-condicionado quebrados nas salas de parto, o setor de classificação de risco não funciona durante 24 horas por causa dos computadores que estão quebrados, incluindo o utilizado pela equipe de regulação, atrapalhando no processo de transferência de pacientes de alto risco.

Além disso, a equipe do Projeto Cegonha destacou o atraso nas obras de construção do prédio próprio da maternidade, que vai funcionar ao lado do HGC. A inspeção teve acompanhamento dos servidores do Centro de Apoio Operacional da Saúde Pública (Cesau), Candice Lisboa e Rafael Costa, e da servidora da Promotoria de Justiça de Camaçari, Denise Brito.

A promotora de Justiça fará o encaminhamento das irregularidades constatadas para análise do Centro de Apoio às Promotorias de Justiça de Moralidade Administrativa e Defesa do Patrimônio Público (Caopam) e do Ministério Público Federal.

O Projeto Cegonha: Efetivando a Dignidade visa induzir a redução da morbimortalidade materna e infantil, no Estado da Bahia, por meio do acompanhamento, pelo Ministério Público, da efetivação da assistência à saúde de qualidade voltada às gestantes, parturientes e recém-nascidos.

Compartilhe!