Bahia

Produção industrial baiana avançou 1,1% em maio

Escrito por CN com Assessoria de Comunicação em 12 de Julho de 2019
[Produção industrial baiana avançou 1,1% em maio]

De acordo com as informações da Pesquisa Industrial Mensal, analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), em maio de 2019, a produção industrial (de transformação e extrativa mineral) da Bahia, ajustada sazonalmente, avançou 1,1% frente ao mês imediatamente anterior. Na comparação com igual mês do ano anterior, a indústria baiana assinalou crescimento de 12,3%.

No acumulado do ano houve acréscimo de 0,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses ocorreu crescimento de 1,4% frente ao mesmo período anterior.

No confronto de maio de 2019 com igual mês do ano anterior, a indústria baiana apresentou crescimento de 12,3%, com 10 das 12 atividades pesquisadas assinalando aumento da produção. Os setores Veículos (48,9%) e Metalurgia (75,5%) apresentaram as principais contribuições positivas no período, explicadas, especialmente, pela maior fabricação de automóveis, bancos de metal e painéis ou quadros para instrumentos de veículos, no primeiro segmento; e de barras, perfis e vergalhões de cobre e de ligas de cobre, para o segundo. Outros resultados positivos no indicador foram observados nos segmentos Produtos de borracha e de material plástico (31,1%), Celulose, papel e produtos de papel (16,3%), Produtos alimentícios (13,7%), Bebidas (60,1%), Minerais não metálicos (35,5%), Couro, artigos para viagem e calçados (14,8%), Equipamentos de informática e produtos eletrônicos (125,1%) e Extrativa mineral (2,2%). As contribuições negativas vieram de Produtos químicos (-11,9%) e Derivados de petróleo (-6,4%).

"A pesquisa revela, mais uma vez, que enquanto o cenário nacional se revela incerto, a Bahia continua na rota do seu crescimento. Enquanto a indústria nacional apresentou queda de 0,2% entre abril e maio de 2019, a Bahia teve crescimento de 1,1%, sendo um dos sete locais pesquisados que apresentou taxa positiva. Já na comparação com maio do ano passado, a nossa indústria apontou expansão de 12,3%, frente ao tímido crescimento nacional de 7,1% da indústria. O resultado coloca a Bahia entre os seis estados com maiores avanços nesta comparação, inclusive à frente de São Paulo. Porém este resultado mostra que o país precisa encontrar o caminho para o desenvolvimento industrial, uma vez que as políticas nacionais para este setor incidem diretamente nos estados", ressalta o secretário estadual do planejamento, Walter Pinheiro.

O avanço observado no índice mensal desse mês foi influenciado, não só pelo efeito-calendário, já que maio de 2019 teve um dia útil a mais do que igual mês do ano anterior, mas também pela baixa base de comparação, uma vez que em maio de 2018, a atividade industrial baiana recuou 13,6%, refletindo os efeitos da paralisação dos caminhoneiros que afetou o processo de produção de várias unidades produtivas no estado.

No acumulado do período janeiro a maio de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior, a produção industrial baiana registrou aumento de 0,1%. Oito dos 12 segmentos da Indústria geral influenciaram o resultado, com destaque para Metalurgia, que expandiu 34,0%, principalmente por causa da maior fabricação de barras, perfis e vergalhões de cobre e ligas de cobre. Importante ressaltar também os resultados positivos assinalados por Minerais não metálicos (26,0%), Bebidas (20,3%), Borracha e material plástico (7,6%), Extrativa mineral (5,5%) e Produtos alimentícios (2,3%). Negativamente, destacou-se o segmento Produtos químicos (-12,2%), impulsionado, principalmente, pela menor fabricação de barras, perfis e vergalhões de cobre e de ligas de cobre. Vale citar ainda os recuos em Derivados de petróleo (-3,8%), Celulose, papel e produtos de papel (-7,1%) e Veículos (-2,0%).

No acumulado dos últimos 12 meses, comparado com o mesmo período anterior, a taxa da produção industrial baiana foi de 1,4%. Oito dos 12 segmentos da Indústria geral influenciaram o resultado no período, com destaque para Metalurgia, que teve aumento de 20,5%. Importante ressaltar também os resultados positivos assinalados por Derivados de petróleo (1,6%), Veículos (2,2%) e Bebidas (13,4%). Negativamente, destacaram-se Produtos químicos (-8,3%) e Couro, artigos para viagem e calçados (-3,3%).

COMPARATIVO REGIONAL - O aumento no ritmo da produção industrial nacional, com taxa de 7,1%, na comparação entre maio de 2019 com o mesmo mês do ano anterior, foi registrada em 11 dos 14 locais pesquisados, com destaque para os avanços mais acentuados assinalados por Paraná (27,8%), Rio Grande do Sul (19,9%) e Santa Catarina (9,3%). Por outro lado, Espírito Santo (-17,4%), Minas Gerais (-2,4%) e Pará (-0,7%) tiveram taxas negativas nesse mês.

No acumulado do período janeiro a maio de 2019, oito dos 14 locais pesquisados registraram taxa positiva, com destaque para os aumentos mais acentuados em Paraná (10,4%), Rio Grande do Sul (8,8%) e Santa Catarina (6,1%). Por sua vez, Espírito Santo (-11,8%) e Pará (-6,2%) exibiram os maiores recuos no período.

Compartilhe!