Polícia

‘Ele queria ser jogador’, diz avó de vítima de chacina em Portão

Escrito por Pesquisa Web em 21 de Maio de 2019
[‘Ele queria ser jogador’, diz avó de vítima de chacina em Portão]

Pablo era o mais velho de cinco filhos (Foto: reprodução)

Pablo Ferreira dos Santos tinha apenas 15 anos e o mesmo sonho de outros adolescentes da idade dele, ser jogador de futebol. A paixão era tanta que a atividade era quase uma religião, todos os dias tinha baba com os colegas da rua ou do colégio, no bairro de Portão, em Lauro de Freitas. Por isso, a notícia do assassinato dele pegou muita gente de surpresa. Matéria do Jornal Correio*

O estudante do Colégio Estadual Social de Portão foi uma das vítimas da chacina que aconteceu no último fim de semana, na Região Metropolitana de Salvador. No sábado, homens chegaram no bairro armados e, de dentro de um carro, atiraram a esmo, ferindo e matando seis moradores.

Os bandidos entraram na Rua Santo Antônio por volta das 19h. Pablo estava conversando com uma amiga quando foi surpreendido pelos disparos, tentou correr, mas foi atingido na cabeça. O estudante morreu antes de receber os primeiros socorros. Emocionada, a avó dele, Vanja Nascimento, 51 anos, lamentou o crime.

“Ele era um menino sonhador e que lutava para ser alguém na vida. Ele era estudioso e uma boa pessoa. Não mexia com ninguém. Nunca houve uma queixa dele na escola. O que eu peço a Deus é justiça, não apenas pela morte de meu neto, como por todas as vítimas”, afirmou.

Pablo era o mais velho de cinco filhos e morava com os pais, em Lauro de Freitas. O corpo dele será sepultado nesta terça-feira (20), mas a família ainda não definiu o horário e o local do sepultamento.

“O pai dele está sendo mais forte e resolvendo as coisas no IML. A mãe está inconsolável. Não come desde o dia em que ele morreu. Só chora, e pergunta porque Deus fez isso?”, contou a avó de Pablo.

Segundo a polícia, as mortes foram provocadas por brigas entre traficantes. As vítimas moravam em uma área que é alvo de disputa entre os criminosos. A região é dominada por uma facção criminosa, enquanto os atiradores fazem parte de um grupo rival.

Cinco vítimas morreram no sábado. A sexta, Arthur Silva de Jesus Moreira, 23, foi socorrida com vida para o Hospital do Subúrbio e resistiu por dois dias. No final da tarde dessa segunda-feira (20) foi confirmada a morte cerebral dele e a família anunciou a doações dos órgãos. O horário e local do sepultamento ainda não foram definidos.

Três suspeitos de participação na chacina morreram no domingo (19) durante confronto com policiais militares, na Lagoa dos Patos, comunidade de Lauro de Freitas. Antes da chacina, os homens roubaram o carro de um motorista por aplicativo.

Confira quem foram as vítimas da chacina de Portão:

Guilherme Gomes da Silva, 19 anos – Ele trabalhava com o sogro em uma oficina de carros, mas, recentemente, havia passado numa seleção para ser atendente numa rede de fast-food. Seria pai em cinco meses. O corpo dele foi sepultado no domingo (19), no Cemitério de Portão. Ele estava na porta de casa quando foi baleado. Era sobrinho de Raimunda e primo de Raiane, mortas na chacina.

Guilherme deixou esposa grávida (Foto: reprodução)

Raiane Freitas, 12 anos – Estudante do 8º ano na Escola Municipal Pedro Paranhos, ela sonhava em ser bailarina. No momento do crime estava na porta de casa, em pé atrás da tia Raimunda e conversava com o primo Guilherme, também mortos na chacina, quando foi baleada. O corpo dela foi sepultado no domingo (19), no Cemitério de Portão.

Raiane e Guilherme (camisa azul) eram primos (Foto: reprodução)

Raimunda Jesus dos Santos, 35 anos – Era doméstica. Estava sentada numa cadeira em frente na porta de casa quando foi baleada. Era casada e deixa três filhos adolescentes, um menino de 16 anos e duas meninas com 14 e 11 anos. O corpo dela foi sepultado na segunda-feira (20), na cidade de Esplanada, no Nordeste da Bahia.

Raimunda deixou marido e três filhos (Foto: reprodução)

Rogério Oliveira da Silva, 36 anos - Pintor, ele era casado e tinha uma filha adolescente de 14 anos. Estava indo até o carro pegar um creme para cabelo que esqueceu no veículo quando foi baleado. O corpo dele foi sepultado no Piauí. Uma van com 15 amigos e familiares saiu de Salvador para a cerimônia. Rogério se mudou para a Bahia há 18 anos junto com quatro irmãos e, desde então, morava em Portão.

Rogério deixou esposa e uma filha (Foto: reprodução)

Pablo Ferreira dos Santos, 15 anos – Estudante do Colégio Estadual Social de Portão, ele tinha o sonho de ser jogador de futebol. Jogar bola era uma tarefa quase que diária. Pablo era o mais velho de quatro irmãos e morava com os pais. Ele estava com uma amiga na Rua Santo Antônio quando foi morto. O corpo dele será sepultado hoje, mas o local e horário ainda não foram definidos.

Arthur morreu protegendo o filho (Foto: reprodução)

Arthur Silva de Jesus Moreira, 23 anos – Ele foi baleado na cabeça e está internado no Hospital do Subúrbio. No momento do ataque, Arthur estava na frente de casa, com o filho de quatro meses nos braços. Ao ouvir os disparos, o pintor se jogou no chão com o bebê e conseguiu proteger a criança, que não teve ferimentos graves e passa bem. A morte cerebral foi confirmada, ontem, e a família resolveu fazer a doação de órgãos. O local e horário do sepultamento ainda não foram definidos.

Compartilhe!